40 anos ao serviço do Desporto

biografia

Patinagem Artística Um crescimento desportivo sobre rodas. Pratiquei patinagem artística no Sporting Clube Marinhense, durante 9 anos. Comecei a patinar com 3 anos (ainda mal sabia andar...) e acabei por abandonar a modalidade com cerca de 13 anos. Os títulos não foram muitos, pois a principal "competição" era o festival anual do clube, que durante anos era muito apreciado e aplaudido. No entanto aqui ficam alguns dados de que me lembro: VI grau nos testes elementares, em 15/3/87; Campeão Regional em 1988 em individual masculino.

Ténis de Mesa Uma paixão de 5 anos... mas que bateu forte. No Ténis de mesa, a história é mais complicada, pois todos os fins de semana tinha competição, desde os pequenos torneios, aos campeonatos regionais e até nacionais. Como jogador, ganhei alguns prémios regionais (em pares, individual e por equipas) e guardo alguns lugares honrosos em torneios por todo o País. Como treinador, depois de frequentar um curso de monitores, ajudei à conquista de vários prémios para o clube, tanto a nível regional como nacional. Pratiquei esta modalidade durante cerca de 5 anos (89/94), sempre na Sociedade de Beneficência e Recreio 1º de Janeiro, na Ordem.

O Sonho de qualquer menino Em futebol, destaco as 8 épocas consecutivas ao serviço do Grupo Desportivo "Os Vidreiros". Entrei para o Clube com 20 anos, 95/96, ano em que subimos para a Divisão Distrital de Honra. No entanto, desde muito novo que participo em torneios e pequenas competições regionais, tanto de futebol 11, como de 7, 5 e o antigo Futebol Salão. Foi na colectividade da Comeira que comecei um bocadinho mais a sério. Desde então o futebol tem sido o mesmo que era antes ..... algumas peladinhas entre amigos e pouco mais.

Completamente inesperado... o Andebol Agosto de 2006. Uma noite calma, à conversa com amigos, num bar em São Pedro de Moel (Bambi), surge algo inesperado... Queres ser meu treinador adjunto este ano? Pergunta o "mister" Pedro Nuno Dinis. Na altura, aquilo pareceu-me algo disparatado... o único "contacto" que tinha com o andebol, era a Cátia enquanto praticante da modalidade. No entanto, depois de alguns minutos de conversa, e de uns dias para pensar no assunto, hoje agradeço ao meu amigo Pedro a experiência que ele me proporcionou e tudo o que ele num ano me ensinou.