Press

07/11/1996 in Jornal da Marinha

FESTIVAL DE PESOS PESADOS

Na passada sexta-feira , a Organização INEGRUPO de Leiria , trouxe até Moinhos de Carvide , seis bandas de pesos pesados , para um concerto que se tornou inesquecível para mais de 300 seguidores desta modalidade.

Com uma organização a fazer inveja a algumas experiências idênticas na zona da Marinha Grande , apenas me tenho de queixar da falta de informação de onde se situava o local do espectáculo . Depois de ter dado a volta a meio mundo , lá consegui chegar ao pavilhão onde iriam decorrer os concertos, embora com 2h de atrazo. -"Obrigado , boa noie. Ainda há mais 3 bandas. " , foram as palavras da banda que actuava naquele momento , e que me situaram no espectáculo .

Com um "grand'a som" , uma imagem cuidada por parte das bandas e um público que demonstrava estar pronto para qualquer descarga de energia , que viesse do palco , a noite aos poucos e poucos, começou-se a tornar numa grande e mórbida reunião Satânica . Sempre com uma entrega total das bandas, ao público , foram os SOULESS que se começaram a distinguir .Os Souless , foram uma agradável surpresa, com uma voz principal muito forte ,com um delay vindo da mesa ,e duas muchachas encapuçadas a fazer um coro gregoriano ,esta banda fez esquecer o seu passado , os Vomitory .

Mas este espectáculo tinha mais novidades, o que era normal .Enquanto sons , desde o Punk Hardcore até ao Grindcore , iam desfilando pela sala, o público ía-se entregando a uma atitude mórbida e audaz , sempre com slams muito aguerridos . E foram os HOWL a deixar toda a gente de boca aberta. Com pinturas faciais a fazer lembrar os Cradle Of Filth , roupas negras como manda a lei do metal e atitudes em palco a mostrar alguma maturidade , os Howl nem pareciam ter uma média de idades de 17,18 anos.Velas em volta do palco e sons pesados mas melódicos , faziam subir a tensão entre os fãs , que se entregaram de alma e coração ao Diabo.

E foi com uns temas mais speedados ou melódicos e outros com mais ou menos groove que a sala se ia despedindo daquele ambiente lúgubre e por vezes aterrorizado a fazer lembrar a noite fantasmagórica anterior . Apenas as bruxas e os vampiros faltavam para nos tirarem do ambiente imaginário em que a noite se tornou.

Este espectáculo fez-me lembrar o festival de bandas de garagem que decorreu à umas semanas atrás numa sala do Operário. Não foi pela semelhança existente na qualidade das bandas , nem na organização , mas sim pelo contrário . Não gosto de fazer comparações , mas para que as entidades organizadoras tenham em consideração o espectáculo em si e não os aspectos financeiros gostava de salientar aqui , que há metal bom e mau , há bom e mau rock e até há música ligeira portuguesa boa e má. Resta-me salientar, que o Jornal da Marinha ,em paralelo com o esforço que tem vindo a fazer, para levar até si uma ideia ,de que música se faz por cá , mais uma vez foi um dos principais apoios desta noite dedicada ao thrash e derivados.

Sarna, Sub-System, Howl, Dyskrasia, Night Prowller e Souless , foram os verdadeiros heróis da noite.