Press

...

PRAÇA DA PALAVRA

Ciclo de tertúlias

Eu venho tocar os sinos.

Planto espadas e transformo destinos.

Os homens ouvem-me (falar)

e a pele

dos homens fica arrepiada.

                                               

                                                Manuel Alegre

 Vimos tarde, talvez.

   Depois de uma tarde em ambiente "familiar", em reunião habitual[1] de artistas, literatos, etc., como o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora anuncia a tertúlia, senti-me pequeno para ilustrar todas as imagens que por lá desfilaram.

   Picassinos a Freguesia e Associativismo, reuniram-se num só tema dando o mote a um grupo de gente entusiasta, que "chamados" para conversar, apenas conversar, deram um sim tão forte como forte foi o tema em discussão.  

   O futuro das colectividades, o subsídio pelo subsídio, os velhos sócios, novas motivações, os novos sócios, a freguesia, as dificuldades, as oportunidades, as facilidades, etc...

   Pontos em discussão que criaram expectativas, impulsionaram motivações, promoveram aproximações de uma plateia não figurante que durante cerca de 3 horas, ouviu, debateu, opinou e reflectiu.

   Viemos tarde, talvez.

   No entanto viemos para ficar!!

   Neste último sábado, tivemos a oportunidade (ou a sorte) de poder ter a presença de gente tão ilustra como o Dr. Álvaro André e Zeferino André, entre outras,  que “orientaram” a segunda etapa do Ciclo de tertúlias A Praça da Palavra.

   "Escritores, livros e poesias", foi o mote. Cerca de 30 pessoas ouviram, comentaram e questionaram temas tão interessantes como o porquê de fazer um livro, como o conseguir, a importância da capa, qual a motivação da poesia, etc...

   A abrir esta tarde, tivemos a presença de um grupo de entusiastas por estes ambientes, oriundos de Coimbra, que nos brindaram com poemas acompanhados à guitarra, música de Coimbra e baladas populares.

   Em paralelo, decorreu uma feira do livro da Marinha Grande onde se pôde adquirir a preços mais convidativos, os livros da nossa terra.

   Sem partes nem linhas mestras, estas tertúlias que vão decorrer na sala de espectáculos da Colectividade de Picassinos, têm apenas o grande objectivo de juntar pessoas em torno de causas.

   São as causas que nos movem.

   Lembro-o que estas tertúlias são parte integrante do programa de actividades para 2002 realizado pelo Grupo de Jovens de Picassinos e que a próxima, vai acontecer no fim do próximo mês com o tema “Novas Tecnologias”.    

[1]  ...e porque não, tornar-se habitual?