Press

30/03/2000 in Jornal da Marinha

PROJECTOS...

A CIDADE PARA OS MEUS NETOS

   Por vezes, algo me diz que quando não acontece nada, é então a hora certa de mandar qualquer coisa cá para fora.

   Por vezes, vêm-me à ideia as célebres promessas feitas a quente, e que mais cedo ou mais tarde são abandonadas.

   Por vezes dá-me uma vontade tão forte de partilhar convosco as inúmeras contradições feitas, que logo de seguida vou comer. Sim vou comer.

   Por vezes....ai....por vezes!

   Nunca vos aconteceu, um dia chateados com algo que na altura parece gravíssimo, dizerem..."vou mandar uma carta para o jornal!!".

   Pois é, eu felizmente tenho essa possibilidade, gozo de alguma liberdade para me expressar. O pior é que não sei se o devo. Lembram-se da censura antes do 25 de Abril, ela ainda existe. Não a mesma, mas talvez uma pior. A censura ideológica. O olhar de lado.

   Quem não se lembra da famosa fábrica de ecrãs. Curiosamente todas as promessas e visões foram esfumadas após a época de eleições. Chegou a ser um cavalo de batalha. Hoje é uma miragem como alguém o havia dito.

   Projectos, são às carradas. Ele é para a MISÉRIA do nosso Parque Municipal, ele é para o futuro Mercado, assim como o presente que irá ser reformulado, ele é para a Cerca, ele é para a antiga Feira dos Porcos, ele é para o Museu da Floresta, para o Museu Vivo do Vidro, enfim eu já não sei o que é que existe na Marinha. Com tantos projectos chega, a haver a impressão que alguma coisa está a ser feita.

   Eu já uma vez o disse, e repito. Não pensem que o trabalho camarário é fácil. Existem muitas dificultadas, tanto externas com internas. No entanto nada disso me esclarece quando me questiono, "e então as prioridades. Quais são as nossas prioridades?"

   Será que as prioridades, são a criação do tão belo jardim que agora ocupa os passeios da Av. do Vidreiro, ou serão as belas protecções metálicas colocadas no Parque Municipal? E então o que me dizem à demolição de parte da antiga casa de chá (como alguém me disse) que se situa no mesmo Parque?

   Por vezes, algo me diz que quando não acontece nada, é então a hora certa de mandar qualquer coisa cá para fora.

   Talvez seja isso. Talvez esteja na hora de dizer alguma coisa.

   À algum tempo atrás falou-se na possibilidade de um concurso de ideias para o nosso Parque. A Câmara Municipal colocava um concurso público de ideias no ar, e aproveitava as melhores. Eu acho boa ideia. Sim porque no caso do Parque, nem sequer existem projectos, ou então eles não são conhecidos. Se este parque é o nosso cartão de visitas, então estamos bem. Talvez seja por isso que somos conhecidos como uma cidade de trabalho, pois ali trabalha-se de dia e de noite, e não tenham dúvidas que se movimenta muito dinheiro.

   Por vezes, lembro-me. Ponho-me a pensar. Onde estão os nossos ideais? Onde está a nossa força mobilizadora que tantos frutos deu no passado? Será que alguém está contente com a situação actual?

   Já nem falo sobre a nossa Polícia, que agora foi colocada naquele "Castelo". Se continuam a existir assaltos no "Centro Histórico" da nossa cidade, eu faço ideia o que é que acontece nas localidades periféricas.